quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Recurso não renovável

Não sei o que se passou,
Não sei o que se passa,
Não sei o que se irá passar.
Só sei que tudo mudou,
Só sei que estou à rasca,
Só sei que nunca irá sarar.

O tal fardo continua cá, e não sei como o irei conseguir expulsar..
Talvez um dia, ou talvez nunca..
A vontade de existir e de viver, também continua cá, mas também não sei como a irei conseguir expulsar..
Talvez um dia, ou talvez nunca..

Começo a sentir-me vazio, os desabafos acabaram, os ressentimentos acabaram, a "chuva" acabou..
As razões que, pela qual escrevo e dedico os meus textos, já não são muitas, e como já todos sabemos(ou pelo menos presumo que todos saibam), os sentimentos não são recursos renováveis, têm limite, têm prazo de validade..
E por isso, não sinto, não vejo razões para passar para o "papel" aquilo que por mim é sentido, aquilo que por mim é vivido..

Um comentário:

  1. O texto está lindo !!

    Não deixes nunca de eescrever

    ResponderExcluir