quinta-feira, 11 de março de 2010

Perante os teus olhos


Pelos teus olhos viajo para o teu mundo. Para o teu mundo de solidão e força interior. Questiono-me:

- Onde é que vais buscar toda essa força ? Como é que, vivendo na solidão, consegues obter uma força que eu nunca pensei que alguma vez alguém (para além de mim) pudesse ter ? Consigo. Consigo perceber a tua dor, consigo entender a tua raiva, consigo entender o teu desejo de vingança. Consigo ver que me odeias mais que tudo, mas ao mesmo tempo, que me amas. Percebo e entendo o porquê de me quereres matar por tanto me amares, nisso, eu entendo-te perfeitamente.. pois eu também quero fazer o mesmo contigo. Quero destruír-te por seres a minha fraqueza interior que explode no exterior, deixando o meu interior em meros cacos, que de tanto ácidos que são, corroem a minha pele fazendo-a desaparecer aos pézinhos de cinderela, pertencente a este meu corpo de marioneta.
É esse mesmo olhar que faz crescer o assassino que há em mim. É esse mesmo olhar, que me faz odiar-te e amar-te. É esse mesmo olhar, que me faz querer. É esse mesmo olhar, que demonstra o valor que tens, que demonstra a imensidão do teu poder. É esse mesmo olhar, que faz de ti quem és.
Neste universo, neste mundo, não existe ninguém, mas ninguém mesmo, capaz de igualar a imensidão do teu ser. Ninguém tem o dom de chegar aos meus pés, como tu chegas aos meus calcanhares, subindo pelas canelas e passando pelos joelhos, até finalmente ultrapassares o céu e rebentares com as paredes do universo.
Um dia, irei conseguir igualar-te. Um dia poderei dizer que finalmente consegui ! Que finalmente encarnei o teu ser, que finalmente encarnei a tua personagem. Mas será que vi ? Será que com este meu saber, consegui perceber esta passagem ? Como é que alguma vez perceberei o valor que tens, sem ter que fazer comparações ? É que, mesmo fazendo tais comparações, mesmo soltando palavras que nunca chegam a ser ditas, conseguirei dizer que alguma vez foste, és e serás ? Sinceramente já não sei nada. Apenas sei que nada sei.

(...)

15 comentários:

  1. Simplesmente PERFEITO *.* Escreves tao bem e com tanto sentimento, que e muito bom e da muito prazer ler os teu textos =)
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. "Quero destruír-te por seres a minha fraqueza interior que explode no exterior"
    Pessoalmente, por tentar tantas e tantas vezes forçar essa destruição acabo sempre por falhar, e a saudade só aumenta. A necessidade de por um fim a isto magoa ainda mais que tentar encontrar um equilibrio entre o amor e o viver. Mas a grande dificuldade e o desafio é encontrar o equilibrio de viver sem esse amor.

    Gosto de como escreves, sentimos o que transmites :)
    Beijinho*

    ResponderExcluir
  3. "É esse mesmo olhar, que me faz odiar-te e amar-te."- Lindo. Acredita, este texto está muito, mas muito bom. Transmites muito naquilo que escreves. Acredita. Parabéns. :) *

    ResponderExcluir
  4. Sim por vezes e bom sentir saudades,outras vezes nao!Depende de quem e do que!

    Mais um vez parabens pelo texto!O que transmite!;$

    ResponderExcluir
  5. Só por curiosidade, qual a tua nota a português? :p
    Está tãooooo bonito :$ Juro.
    "Um dia, irei conseguir igualar-te." Nunca nos apercebemos mas somos sempre iguais aos outros. Uns podem ter um aspecto melhor que em nós até é um ponto fraco. Mas com certeza os outros não possuem algo, que nós nos orgulhamos de ter :')

    ResponderExcluir
  6. Sim, mas como já disse a outras pessoas, essa espera não tem que ser só nem sofrida. É como já te disse, acho que basta encontrar o equilibrio...porque mesmo estando com outra pessoa, bastava que este amor voltasse...e tudo faria sentido. Percebes?
    Se algum dia o amor, o verdadeiro amor voltasse, teria no fundo, estado somente à espera dele. *

    ResponderExcluir
  7. Exacto, agora dizeste tudo. Ainda bem que me entendeste, às vezes julgo que sou a única a pensar assim, e que ninguém entende...chego a pensar que a errada sou eu, mas no fundo tenho noção que o amor é assim mesmo. *

    ResponderExcluir
  8. A maneira como escreves é unica, André... :$
    Está lindo o texto, está mesmo intenso ...
    "É esse mesmo olhar que faz crescer o assassino que há em mim. É esse mesmo olhar, que me faz odiar-te e amar-te. É esse mesmo olhar, que me faz querer. É esse mesmo olhar, que demonstra o valor que tens, que demonstra a imensidão do teu poder. É esse mesmo olhar, que faz de ti quem és."

    ResponderExcluir
  9. encontramos a força em tudo, mesmo no mais pequeno objecto inalcançavel e como dizem "o ódio está muito proximo do amor"

    sim, é essa a musica (:

    ResponderExcluir