domingo, 4 de setembro de 2011

Rhymes

Hoje em dia, é difícil criar algo novo,
É difícil agradar aos gostos do nosso povo;
Já está tudo feito, praticamente tudo inventado,
Inteligentemente pensado para que já nada seja criado.
Evoluímos à velocidade do som, sem pensar nas consequências,
E hoje vivemos entre um povo que já só vive de aparências.
Cheios de dependências: sufocam sem o habitual perfume;
Se não há dinheiro, pedem emprestado para beber o chá do costume.
É uma vergonha, não sei como é que somos assim,
Sei é que há muitos que desejavam os restos no fim.
E nós aqui, a viver à grande e à portuguesa,
A trocar valores essenciais por produtos de beleza.
Mas bem, não me serve de nada estar a criticar a multidão,
Não vou ter ganhos extra a não ser um bom serão;
Diverto-me a ver, mas também luto pelo impossível,
E às vezes nem suando conseguimos subir de nível.
Sou sincero: vejo-me preso nesta cave,
Enquanto uns vivem no topo, eu nem da cave tenho chave.
Tento ser criativo, mas o mundo já tem demasiado,
Está repleto de parvos que cantam um fado que nem é fado.
É complicado, navegar afastados do naufrágio,
Pois escrevemos uma rima e já afirmam que é plágio..
Mas que se lixe, se é para viver, então que se viva,
Tratem a vida como queiram, mas não como uma diva..

2 comentários:

  1. Concordo plenamente com o que aqui dizes. Gostei muito :)

    ResponderExcluir
  2. Amei o teu blog!
    Está fantástico!
    Sigo *.*

    ResponderExcluir